A Justiça, mais do que injusta com o povo

Joaquim Barbosa, preside hoje a sessão do STF no julgamento do chamado “mensalão”.

O ministro carrasco chega ao mais alto posto da INjustiça brasileira. Muita expectativa gira em torno de Joaquim Carrasco Barbosa, por ter se notabilizado como paladino que combate a corrupção. Vamos esperar que ele combata a própria corrupção da justiça brasileira, que ele combata a lentidão da justiça, a méda de processos chega a 15 anos.

Mas, temos duas questões para Joaquim Barbosa:

1- Ele condenou Dirceu e Genoíno sem provas, já Cachoeira, a justiça implacável do ministro mandou soltar Cachoeira com um caminhão de provas.

2- O STF de Joaquim Carrasco Barbosa mandou descontar imposto de renda sobre o 13º e 14º salário dos senadores, o senado não fez. Agora, o senado informou que vai recolher o imposto de renda, ou seja, nós cidadãos iremos pagar. E ai Joaquimzão Carrasco Barbosa, condenarás e mandaras prender os senadores?

Enquanto isso, o juiz Elder Lisboa (aquele mesmo que ferrou a greve dos professores), mandou bloquear os bens do senado tucano contra-ventor Mário Couto. O senador, ínsua que o juiz é corrupto. Quem tem razão nesta disputa que envolve legislativo e judiciário?

Imagem

 

 

Assim caminha a parte podre da justiça paraense

Quando se fala em corrupção no país logo se pensa no “mensalão” (segundo o jornalista Mino Carta, só existe na fúria da imprensa podre). Mas, a corrupção se espraia para todos os tentáculos através do poder constituído e do poder paralelo.

Hoje, o STF julga se juízes, desembargadores e procuradores, enfim, se a parte podre da justiça enfiada até o talo na corrupção pode ser investigada pelo CNJ – Conselho Nacional de Justiça.

Entre as investigadas pelo CNJ, temos uma das principais representantes da parte podre da justiça paraense, a magistrada Vera Araújo de Souza, que acaba de ser promovida ao cargo de desembargadora pelo Tribunal de Justiça do Pará (TJE)

A ministra Eliana Calmon está no pé da agora desembargadora Vera suspeita de conluio com uma quadrilha especializada em corrupção no sistema financeiro e, o Banco do Brasil era a bola da vez pela quadrilha, onde a dona Vera é suspeita por fraude, mas foi promovida pelos amigos de TOGA do TJE. Pode?

Leia mais:http://migre.me/7LES6

 

Quando a justiça atrapalha

Neste final de semana que passou, estive em Bragança, nordeste paraense, palestrando sobre temas sindicais. Além de participantes da bela Bragança, se fizeram presentes companheiros das cidades de Traquateua, Viseu e Augusto Corrêa.
Um fato nos chamou atenção em nosso percurso – a cidade de Traquateua realizando eleições fora de época! haja vista que a lenta justiça paraense levou 2 anos para convocar novas eleições municipais, em face da impugnação do prefeito eleito irregular do PMDB.
Imaginemos o que perdeu este município e seus humildes moradores pela lentidão do Tribunal Regional Eleitoral – TRE/Pá, quanta perda de recursos para saúde, educação, agricultura. Enquanto isso, os juízes continuam ganhando muito bem, cheios de mordomia, trabalhando somente as terças, quartas e quintas. Pasmem! estão ameaçando realizarem um dia de paralisação neste mês de abril.