Jatene tem tentáculos no Cachoeiroduto

Fronteiras O comando do PSDB chamou o governador Marconi Perillo (GO) para uma conversa nesta semana. Querem saber exatamente o grau de ligação do tucano com a Delta e o esquema de Cachoeira. O partido teme, ainda, que os tentáculos do esquema atinjam o governo de Simão Jatene (PSDB-PA).

Publicidade

Qu tem medo da #cpidocachoeira

A CPI do Cachoeira promete pegar muita gente de falso moralizamos e eética,

A CPI não foi nem instalada, mas já tem duas grandes figuras no alvo:Perillo e Agnello governadores de GO e DF,

A especulação é que os principais partidos PT e PSDB enterrem a CPI do Cachoeira,

Essa é a bola da vez para derrubar por vez a farsa mensalão. Não dá pra recuar, #cpidocachoeira já.

Quem pariu Agenllo, Otoni e Vacarezza que os embale.

Demostenes-Torres

Demostenes-Torres

O Senador Demostenes Torres (DEM/GO) prova de seu próprio veneno.

Vive atualmente seu inferno astral com as denuncias de ter recebido propina do jogo do bicho através do contra-ventor Carlinhos Cachoeira.

Vamos relembrar algumas das cenas de bravatas com recheio de falso moralismo do Senador “ético” Demostenes Torres:

Ex-Ministro Lupi (PDT/RJ), episódio do jatinho, onde um amigo lhe ofereceu uma carona. Nas explicações de Lupi, Demostenes utilizou a tribuna do senado e questionou as amizades de LUPI.

Ex-ministro dos esportes Orlando Silva (PCdoB/SP), episódio de uma das ONG’S envolvidas no repasse de recursos públicos, Demostenes zombou de Orlando Silva acusando o ex-ministro de se relacionar com amigos de idoneidade duvidosa.

No próprio episódio do mensalão de seus partido no Distrito Federal quando toda a podridão do ex-governador Roberto Arruda veio a baila, Demostenes Torres foi um dos principais dirigentes a bradar sobre ética e defender a expulsão do ARRUDA.

No episódio do famigerado MENSALÃO, Demostenes Torres sempre acusou o PT, o presidente LULA, Zé Dirceu e a presidenta DILMA de não terem idoneidade, faltarem com a ética;

Demostenes Torres é um dos principais protagonistas de ações no STF contra a bolsa família, cota para negros nas universidades e defende o não reconhecimento da CUT como central sindical dos trabalhadores e trabalhadoras.

Como dizia meu professor de filosofia, sempre desconfie desses falsos moralistas, desses falsos paladinos dos bons costumes e da ética.

“Quem com o #DEM fere com o #DEM será ferido”.

 

Deixa a vida me levar!

As 20h30, encerramos nossa cobertura do plebiscito sobre a divisão do Pará. 96% da totalizacao TSE/TRE.
Nossa cobertura envolveu redes sociais linkadas diretamente ao TSE/TRE com tecnologias de código aberto.
Em números redondos a proposta do NÃO venceu com percentual de 65% em média tanto para Carajás quanto para Tapajós. Diferença alcança mais de 1.1 milhão de votos pro NÃO.
Essa aventura que meia dúzia de políticos personificados de separatistas nestas regiões protagonizaram, cifras de 19 milhoes de reais.
Quem ganhou, quem perdeu? Esse é o Day-after pós plebiscito.
Em acordo com a analise do jornalista Lúcio Flávio Pinto o povo foi o único perdedor, justamente pelos interesses corporativos estarem camuflados nesta disputa aventureira.
Mas, apesar dos marketeiros terem transformado a campanha em guerra de torcidas, o resultado indica que o povo não é tão passivo para as manipulações.
Além disso, o resultado desse plebiscito deve sepultar outras aventuras que aguardam na fila do congresso nacional.

O STF faz cumprir a lei

O ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima (PSDB/PB), cassado por desvio de recursos públicos, corrupção teve seu registro cassado pelo TRE-Pe, não tinha sido empossado até a data de 08 de novembro.

Mas, o STF empossou Cássio Cunha Lima como senador eleito pelo Estado da Paraíba, sendo assim, Wilson Santiago (PMDB/PB) sai do senado.

Para refrescar a memória, Cássio Cunha Lima como tantos outros parlamentares foram enquadrados na pomposa Lei da Ficha Limpa que o STF considerou inconstitucional para ser aplicada imediatamente, portanto, mas um ex-governador do PSDB corrupto virou senador.

Ou seja, neste caso, a lei do STF é cumprida, mas o piso nacional dos professores é desrespeitada por um juiz regional suspeitissimo.

Eu só quero entender!

 

Todos contra a greve

O PIG/OLIBERAL desinforma os paraenses em relação a greve dos professores.
O delegado geral fala em desobediência civil dos sindicalistas, quer a citação do tal juíz Elder (o mesmo que desrespeita o STF) para proceder a prisão dos sindicalistas, que lutam pelo piso nacional que já é lei.
Mas, esse mesmol delegado geral e a policia não garantem segurança a população em geral.
Nilson Pinto ameaça punir professores grevistas, mas Nilson Pinto votou a favor da lei do piso nacional dos professores quando era deputado federal em 2011 pelo PSDB, o partido do governador.
Mas, hoje no poder – Nilson Pinto desrespeita aquilo que ele mesmo aprovou como parlamentar.
Repito: eu só quero entender por quê o STF é desrespeitado por um juíz regional suspeitissimo.

Viva a greve dos correios

Foram 28 dias de greve protagonizada pelos trabalhadores e trabalhadoras dos Correios. Uma demonstração que a imagem negativa de empresa pública que serviu de balcão de negociatas eleitoral não condiz com a personalidade dessa brava categoria de luta.

Aliás, a imprensa só divulgou a pauta economicista da categoria, não fez referência, por exemplo, que na mesma constava a modernização dos Correios, concurso público como medida fundamental para barrar a privatização branca.

O que podemos extrair da greve dos Correios foi sem dúvida nenhuma a disposição de luta de uma categoria que colocou para a sociedade a importância da empresa. Fazer referência a greve apenas pelo acumulo de milhões de correspondências faz parte das consequências do que representou o movimento paredista. A imprensa e os parasitas jamais apoiarão qualquer greve, por mais justas que sejam as reivindicações, ao contrário, a ideologia da imprensa e dos parasitas será sempre conservadora.

Os 2 atos da greve: Primeiro ato a tentativa de um acordo via conciliação no TST (para evitar o julgamento) da greve, onde esteve na composição da proposta um abono de R$ 800,00 (independente do índice salarial e do aumento linear de R$ 80,00).

Segundo ato o julgamento da greve pelo TST (Tribunal conservador e anti classe trabalhadora), neste caso, foi retirado o abono de R$ 800,00 (uma perda para a categoria).

Os jornais estamparam posicionamento do Presidente do TST – ministro Dalazen criticando o comando de greve por não ter autonomia para negociar (referiu-se ao pacto anterior de conciliação), além disso, reforçou as críticas que partidos políticos estavam infiltrados na greve com outros interesses, leia-se PSTU, PSOL e PCO.

Sobre esse último ponto e não fazendo o jogo da imprensa e do ministro Dalazen (interesses partidários na greve), destaco o espírito guerreiro da Federação sindical da categoria – FENTECT, filiada a Central Única dos Trabalhadores – CUT que não se omitiu em nenhum momento da greve, inclusive quando posicionou sua palavra na composição da proposta oriunda da reunião de conciliação com o TST e a direção da empresa.

Onde a crítica do ministro Dalazen e da imprensa irão ecoar sobre as disputas políticas? Os segmentos políticos: PSOL/PSTU/PCO farão as suas mais ácidas e irresponsáveis críticas sobre a condução e os resultados da greve, culparão incansavelmente e exclusivamente a FENTECT. Assim procedem em nossa categoria com a FENADADOS e a CUT.

Esse tipo de método é contumaz do oportunismo político, mas a categoria dos trabalhadores e trabalhadoras dos Correios representados pela FENTECT são maiores que os golpes baixos patrocinados por grilos falantes.

Viva a greve dos bravos e bravas trabalhadores e trabalhadoras dos Correios.

 

 

 

Priorizar a campanha salarial

Pela primeira vez estou utilizando meu próprio espaço de rede social para posicionar-me sobre nossa campanha salarial. Quando estou falando de “nossa campanha salarial”, estou me referindo ao meu local de trabalho – SERPRO.

Neste ano de 2011 estamos premidos pelos problemas extra-campanha, 4 sindicatos dos seguintes estados: RS, SC, RN e BA resolveram assumir publicamente seu método de campanha paralela. Digo assumir, pois em outras campanhas salariais faziam de forma dissimulada, ou seja, praticavam seus atos anti-sindicais, mas sempre renegavam suas personalidades.

Esses sindicatos sempre utilizam a FENADADOS (Federação Nacional) como bode expiatório, aproveitam-se principalmente de uma lista interna (caracterizada de lista Yahoo) para destilarem as mais inusitadas leviandades, além disso, as frustrações e complexos de toda ordem sindical predomina entre seus signatários.

Recebo do dirigente de comunicação do SINDPD/PA (e não sei do motivo deste comunicado não está divulgado entre os trabalhadores e trabalhadoras) um comunicado que o TST, finalmente, rejeitou as medidas protocolares dos 4 Estados, onde o resultado foi o que todo mundo já sabia: “a Fenadados é a única representante legitima do Acordo Coletivo do Serpro”, ou seja, ou os 4 estados mosqueteiros pseudo rebeldes aproximam-se da campanha salarial nacional ou deixam de atrapalhar as negociações.

No link as informações:

http://migre.me/5TvGe