Até que enfim veio a pesquisa!

Em postagem anterior questionava a não divulgação de pesquisas sobre o processo eleitoral em nosso Estado. Esta primeira pesquisa do IBOPE foi uma novela e tanto. Fomos surpreendidos pelo pedido de embargo de nossa coligação ACELERA PARÀ. Mas no próprio site da coligação não encontramos informações consistentes dos verdadeiros motivos do embargo.

Finalmente, depois de muita boataria foi divulgada a pesquisa IBOPE somente para o cargo de governador, onde já se esperava o que se comentava em todos os cantos da cidade que a eleição estava polarizada entre Jatene e Ana Júlia. Além disso, também são os candidatos mais rejeitados, são as coisas esquizofrênicas das pesquisas eleitorais.

Independente se os números refletem a realidade, mais uma vez o que nos chama atenção são os poucos mais de 800 eleitores pesquisados, para um Estado considerado o segundo maior do país com uma extensão de 1.248.042,515 km², 143 municípios e uma população de 7.321.493 habitantes, sendo que só a região metropolitana reúne cerca de 2,1 milhões habitantes.

É preciso recuperar nossa memória militante que o IBOPE sempre errou feio nas pesquisas eleitorais paraense, na última eleição para prefeito prejudicou imensamente a candidatura do professor Mário, sempre colocando-o entre os últimos colocados e os números de outubro de 2008 consagrados das urnas refletiram outra realidade. O professor Mário por pouco mais ou menos 0.5% não foi ao segundo turno das eleições, essa foi praticamente a diferença para Priante do PMDB.

Portanto, há no país um sentimento de completa desmoralização das pesquisas comandadas pelos institutos IBOPE e DATAFOLHA. Nas eleições presidenciais está se conseguindo evitar a sangria das fraudes, mas há denuncias que os vícios destes institutos continuam muito arraigados nos estados, até mesmo pela pouca importância sobre o controle do formato de pesquisa desses dois institutos. Parece que é o caso do estado do PARÀ. Acrescenta-se que o grupo OLIBERAL sempre encomenda as pesquisas, todos nós sabemos que o representante do PIG paraense tem todo o interesse na eleição de seus amigos jatenistas retornarem ao poder no Estado do Pará.

No entanto, há que não incorrermos nos erros e vermos só as paixões políticas, os dados da rejeição da candidatura Ana Júlia não se pode desprezar, obviamente que não pretendemos fazer conjecturas e inferir juízo de valor nos números ‘considerados altos’, mas arrisco a prognosticar que parte da rejeição encontra-se nos movimentos sociais/militância e servidores públicos.

É preciso calçar as sandálias da humildade que nesses setores chaves de apoio da candidatura da coligação ACELERA PARÁ não há a mesma sintonia e harmonia de outras memoráveis jornadas eleitorais.

Temos ainda muita água para rolar de baixo da ponte, essa peleja final só termina com o segundo turno.

Um comentário sobre “Até que enfim veio a pesquisa!

  1. Olá querido dono deste blog!
    Não conhecia este espaço e já estou seguindo!
    Qto a sua postagem, a pesquisa-mocotó divulgada hoje pelo meno reflete a opinião das pessoas do meu convivio social e profissional.
    Se mesmo assim não for maioria, ha de se considerar que pesquisas são feitas em cima de amostragens e por isso passiva de erro.
    O dia tres de outubro falará tudo!
    Vale lembrar que não devemos definir nosso voto com base em pesquisas de opnião, Vamos conhece-los. Vamos ouvi-los. Vamos fazer um resgate na memoria e avaliar quem é mais adequado para governar este Estado. Sem depois botar a culpa nos outros!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s